Publicidade Marcilio Noticias

Valdirene Fiorentino da Silva, 35, encomendou a morte do marido, empresário do ramo de turismo José Pereira Barreto, 38, que ainda se encontra internado, mas não corre risco de morte. O atentado ocorreu na tarde de quarta-feira (13/2), quando o homem acabou baleado dentro da GM S-10 em que conduzia, na rua Cuiabá, em Dourados.

Pedro Jorge Braga Câncio Júnior, suposto amante dela, também teria envolvimento no crime. Além deles, outras cinco pessoas participaram da ação. Todas estão presas e serão apresentadas pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) às 15h de hoje (14/2).

De acordo com o apurado pelo Dourados News até o momento, logo após a tentativa de homicídio, a mulher foi à delegacia. Ela estava desaparecida desde o dia 10 de fevereiro.

Desconfiados, os policiais começaram a questiona-la e logo em seguida ela confirmou ter sido mandante do crime.

Grupo envolvido em atentado contra empresário está preso – Crédito: Foto: Osvaldo Duarte

Valdirene contou que era agredida constantemente pelo marido e teria iniciado uma relação extraconjugal com Pedro Jorge. O fato foi descoberto por Barreto.

A mulher então se juntou ao rapaz e tramou a morte do empresário. Com R$ 20 mil, procuraram Paulo Vitor dos Santos, 32, David Jonathan dos Santos, 29, e Leandro Alves Gonçalves, 32.

O trio se encarregou de contratar duas pessoas para cometer o assassinato, Charles Barros de Lima Ribeiro, 21, e João Alves Cardoso, 26.

Com o dinheiro, a dupla adquiriu a Honda Twister e um revólver 357, ambos usados na ação. João ficou responsável de pilotar a moto enquanto o comparsa realizou os disparos.

Todos acabaram presos e encaminhados ao 1º Distrito Policial de Dourados.

Além dos sete, José Pereira Barreto, também será encaminhado a uma das celas do 1ºDP. Na casa dele foram encontrados uma pistola 357 e mais R$ 449 mil. No veículo em que o empresário estava havia ainda uma pistola calibre 9mm.

DOURADOS

Atentado é tratado como ‘passional’ e funcionário da vítima teria dado a ideia

14 fevereiro 2019 – 16h50Por Gizele Almeida e Osvaldo Duarte

A ideia de matar o empresário José Pereira Barreto,38, partiu do funcionário da empresa dele, Pedro Jorge Braga Câncio Junior, suposto amante de Valdirene Fiorentino da Silva, 35. As informações foram divulgadas pela Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (14). Conforme mostrado pelo Dourados Newsa mulher encomendou a morte do marido. Ele acabou atingido no tórax, no atentado e foi socorrido para hospital no município.

Conforme o delegado do SIG (Setor de Investigações Gerais), Rodolfo Daltro, Pedro “ventilou” a ideia para Valdirene que, prontamente foi acatada por ela.

O crime é tratado como passional pela polícia civil.

Daltro disse que a mulher apontou em depoimento que pretendia por fim em sofrimento “por amor”.

“Anos de casamento conturbado e ela resolveu por fim a isso, na versão dela, encomendando a morte do marido”, diz.

Álibi frustrado

De acordo com o delegado, a mulher tentou livrar qualquer suspeita de que ela estivesse envolvida com o atentado ocorrido contra José. Para isso, ela compareceu à delegacia no momento tramado para que o crime acontecesse.

“Valdirene chegou na delegacia por volta das 17h50 e me procurou, e relatou que tinha voltado. Ela disse que havia saído por causa de briga, de ameaças e durante conversa com ela, eu fui informado por um policial de uma tentativa de homicídio e ao chegar lá verifiquei que se tratava do marido dela, e, imediatamente fiz essa composição no sentido de que ela veio a delegacia para tentar formatar uma álibi”, citou.

A intenção era compor um “cenário” de que ela não tinha nenhum envolvimento com o crime, no entanto, diante das suspeitas, o delegado iniciou entrevista com a mulher. Após 1h30, ela confessou que mandou matar o marido.

Informante

A polícia civil divulgou ainda que Pedro foi o responsável por informar todos os passos de José ao atirador Charles Barros de Lima Ribeiro.

O atentado ocorreu no caminho que o empresário fazia diariamente de casa ao trabalho.

Pedro informou em depoimento que fechou a empresa junto com a vítima e posteriormente informou ao atirador “está saindo”.

“O Pedro monitorou totalmente a vítima e avisou os detalhes e no momento em que avisou que podia executar, a mulher estava na delegacia, tentando formatar um álibi que não deu certo”, apontou Daltro.

O CASO 

Barreto acabou ferido no final da tarde de quarta-feira no cruzamento das ruas Cuiabá e Mato Grosso, região do Jardim Santo André.

Os tiros atingiram a região do tórax da vítima, que seguia numa GM S-10.

Após o atentado, o empresário proprietário da Eurotur Turismo, perdeu o controle da direção e bateu contra um veículo Ford/Ka.

No veículo da vítima os policiais encontraram R$ 63.605 em dinheiro.


Deixe a repetição