Médico é agredido em pronto-socorro após negar atestado

G1

O médico Rodrigo Augusto da Rocha Recchia, de 41 anos, plantonista de um pronto-socorro em Santa Bárbara d’Oeste (SP), foi agredido com socos após se recusar a dar atestado médico a um paciente. O profissional foi à Polícia Civil para registrar o caso e afirmou que o agressor não tinha sintomas que justificassem o afastamento do trabalho.

Recchia afirmou à polícia que fez o atendimento ao homem no Pronto-socorro Edson Mano, na tarde desta quinta-feira (13), mas deu alta ao paciente. Logo depois, o agressor invadiu uma área privativa na unidade e exigiu um atestado médico porque havia faltado do trabalho, conforme o relato do médico aos policiais.

Ainda segundo Recchia, após ouvir que não receberia o documento para dispensa do serviço, o homem afirmou que iria matá-lo. O médico disse que conduziu o paciente até a saída do pronto-socorro, e o homem o atingiu um primeiro soco que acertou a região da boca.

O profissional afirmou à polícia que tentou reagir, mas foi segurado por um segurança da unidade e acabou levando mais dois socos na face. A Guarda Municipal foi chamada e levou o médico até a delegacia, onde registou termo circunstanciado.

O médico afirmou  nesta sexta-feira (14) que o paciente conseguiu fugir e não foi encontrado após ter cometido as agressões.


Deixe a repetição